Bruxelas Capital da Europa

 

Bruxelas é uma metrópole onde se juntam várias línguas e culturas. Sua arquitetura reflete essa mistura através dos edifícios góticos, das fachadas clássicas do Palácio das Nações e do Palácio Real e do estilo Art Nouveau e Art Déco de muitas casas.

 

O centro da cidade é a Grand Place, conhecida como uma das mais belas praças da Europa, é um dos mais conhecidos cartões postais europeus. Já foi chamada de Teatro Vivo pois, além de ser um excelente local para passear, é lá que acontecem os mercados de pássaros e de flores aos domingos e, nos seus charmosos cafés e bares, é servida a melhor cerveja do mundo. Durante séculos a Grand Place foi o ponto da vida social e cívica da cidade e, até hoje, seus habitantes comemoram ali as mais importantes cerimônias e festivais. Não muito longe da praça, você vai encontrar os principais monumentos de Bruxelas.

 

Ao leste da Grand Place ficam o Palácio Real e a Casa do Parlamento e entre as duas construções há uma fonte em estilo francês: neste local os belgas lutaram contra os holandeses pela sua independência. Um pouco ao sul fica a Place do Grand Sablon, o centro das galerias de antigüidades e restauração. Ao norte do Grand Sablon está o Museu Real des Beaux Arts que compreende os Museus de Arte Antiga e Arte Moderna.

 

Os dois possuem enorme acervo, com belíssimas obras daPintura Flamenga dos séculos XV e XVI. A maioria dos artistas está muito bem representada, como Robert Campin, Rogier van der Weyden, Hugo van der Goes, Dirk Bouts, Hans Memling e, particularmente, Peter Breughel -“o Velho”. Em uma sala exclusiva para seu trabalho está a obra-prima "A queda de Icarus". Têm também presença expressiva os grandes artistas nacionais, Peter Paul Rubens e seu discípulo Anthony Van Dyck.

 

Bruxelas é conhecida como a cidade dos mercados, cada bairro tem seu mercado próprio: mercado dos pássaros, das flores, de antigüidades, mercados das pulgas e até de cavalos.

 

Na esquina da rua L’Etuve e da rua du Chene, você vai conhecer a fonte Manneken-Pis, uma figura tão amada em Bruxelas, que é conhecida como “cidadão de honra da cidade”. O Manneken-Pis já ganhou roupas de reis, presidentes e celebridades e, por isso, tem até um armário no Museu Colonial, onde estão guardadas mais de 250 peças.

 

 

Palácio Real de Bruxelas - aberto ao público em Julho e Agosto

 

O Palácio Real de Bruxelas fica na Place de Palais em frente ao Palácio da Nação, sede do Parlamento Belga, e entre eles, o Parque de Bruxelas. O Parque era uma parte da área de caça dos Duques de Brabant e foi o cenário da violenta guerra de 1830, quando a Bélgica conquistou sua independência.

Todo ano, durante os meses de verão, o Palácio Real em Bruxelas abre suas portas ao público, diariamente das 10h30 às 16h30, exceto às segundas-feiras. A entrada é livre.

 

 

Na cosmopolita Bruxelas não faltam eventos nem diversão para você. Da Competição Anual de Música da Rainha Elizabeth, em que participam músicos de todo o mundo, ao Festival Anual de Jazz, que atrai as estrelas internacionais para a cidade. As melhores óperas e ballets, oferecidas pelo Teatro Real de la Monnaie. As sinfonias e concertos programados durante todo o ano no Palácio des Beaux Arts. Para os mais animados, as várias casas noturnas e discos. Sem esquecer dos eventos folclóricos, como o Desfile dos Gigantes, em maio, e os desfiles do Ommegang Festival, na primeira quinta-feira de julho.

 

Ao redor de Bruxelas você encontra ainda muitas atrações: a casa onde Erasmus viveu, em Anderlecht, o Parque e Museu da África Central, em Tervuren; o Atomium, o Centenário Palácio de Exposições, o novo Brupark em Heysel e a Floresta de Soignes.

Devido à sua posição geográfica, no centro da Europa, a Bélgica foi palco de grandes batalhas e guerras. Em Waterloo, apenas alguns quilômetros ao sul de Bruxelas, num dia de junho de 1815, ocorreu a derrota de Napoleão. Não muito distante está o Museu Wellington, que serviu de quartel general para Wellington e, ainda, a casa onde Napoleão passou as duas últimas noites antes de sua derrota, que é conhecida como Museu Caillou.